Vidas de Animais de Circo em Perigo

KEENESBURG, Colorado, 22 de novembro de 2012 /PRNewswire/ -- O futuro de 16 leões e tigres se tornou obscuro com a explosão de uma batalha ética entre um santuário americano para vida selvagem e uma ONG paraguaia.  Os grandes gatos exóticos fazem parte de um circo itinerante fundado na Argentina e estão presos no Paraguai por quase cinco meses porque as autoridades argentinas se recusam a readmiti-los.

Os nove tigres-de-bengala e sete leões africanos pertencem ao circo argentino que normalmente se exibe todo mês de agosto na capital paraguaia. O seu proprietário, Oswal Wasconi, trouxe eles para uma exibição em 2012 somente para ficar sabendo que uma nova lei do Paraguai proíbe shows ao vivo de animais em circos.

Com a Argentina afirmando que não permitiria a volta dos animais ao país se não obtivesse informações mais detalhadas sobre a condição de proteção dos mesmos como espécies ameaçadas, o futuro dos animais se tornou obscuro.  O departamento de vida selvagem do Paraguai decidiu transferir os 16 leões e tigres para o zoológico de Assunção na esperança que lá eles tivessem mais conforto e fossem mais bem tratados até que uma solução fosse encontrada.

Logo choveram telefonemas e e-mails pedindo ajuda nos escritórios dos EUA do The Wild Animal Sanctuary (Santuário para Animais Selvagens), um santuário carnívoro sem fins lucrativos localizado fora de Denver, Colorado.  O local de 720 acres (291 hectares) é o maior e mais antigo grande santuário do hemisfério ocidental e já salvou com sucesso mais de 30 animais de circo do México e de países da América Central & Sul nos últimos anos.

Depois de falar com autoridades paraguaias do departamento de vida selvagem, o The Wild Animal Sanctuary iniciou negociações para salvar os animais e assegurar um lar permanente para eles no santuário. Uma ONG relativamente pequena conhecida como OIPIC, localizada no Paraguai, tornou-se intermediária entre o dono do circo e o Santuário e ajudou com as negociações iniciais.

No início o dono do circo ofereceu seus animais à venda, mas o Santuário deixou claro que estava somente interessado em salvar os animais e dar a eles um lar permanente onde eles pudessem ficar livres e viver em grandes habitats naturais – não em jaulas.  O dono do circo, Oswal Wasconi, afirmou que havia gastado milhares de dólares em multas e em cuidados com os animais desde que eles ficaram presos no Paraguai e pediu por compensação por suas perdas a fim de abdicar dos animais.

O The Wild Life Sanctuary concordou em pagar pela alimentação e cuidados dos animais enquanto esperava ganhar a liberdade dos mesmos e também pelos custos do circo associados às multas do governo e outras despesas para assistência. Foi estabelecido por comunicação entre as partes envolvidas que as despesas seriam de $20.000,00

A presidente da OIPIC, Brigitte Fuzellier, relatou o sucesso das negociações através de um comunicado ao Santuário que dizia: "Aqui estoy ahora con la duenha de los tigres que vino desde brasil para resolver el tema de los tigres ella est de acuerdo con migo. Si le pagamos la proxima semana la sena de 20 mil ella firma la carta de compromiso con nosotros."

Entretanto, depois de dias, tornou-se evidente que os donos do circo ainda estavam tentando vender os animais à OIPIC por $70.000,00 dólares americanos e que, na verdade, não tinham nenhuma preocupação com o futuro dos animais.  Ao invés de fazer o circo honrar o seu acordo, a OIPIC mudou de repente a sua postura e concordou em pagar ao dono do circo um adicional de $50.000,00 dólares para comprar os animais.

Comunicações subsequentes feitas pelo Santuário deixaram bem claro à OIPIC que as exigências do dono por dinheiro além das despesas associadas ao confinamento dos animais no Paraguai eram extremamente inapropriadas… e que de forma alguma o Santuário gostaria de fazer parte de um negócio para satisfazer as exigências inescrupulosas do dono. A OIPIC respondeu afirmando que tinha medo de estragar a sua amizade e estreita associação com o dono do circo e disse que continuaria a tentar levantar outros $50.000,00 em moeda americana para comprar os animais.

A Diretora Executiva do Santuário, Pat Craig afirmou: "É altamente imoral e ilegal comprar espécies ameaçadas e qualquer organização de reputação, inclusive a nossa, jamais concordaria em fazer isso.  Nós deixamos isso repetidamente claro para Brigitte e mesmo assim ela continua a pedir doações do público para alcançar o preço de venda do dono.  Este comportamento imoral e a franca recusa em seguir uma lei internacional bem estabelecida nos deixa sem escolha além de suspender nossa relação com a OIPIC".

O The Wild Life Sanctuary enviou uma carta oficial à presidente da OIPIC, Brigitte Fuzellier, em 20 de novembro declarando que estava rompendo laços com a sua organização e que seria forçado a procurar outros caminhos para assegurar a liberdade dos animais do circo.  A Diretora de Relações Públicas do Santuário, Katie Vandegrift, declarou que sua internacionalmente bem conhecida organização para assistência estava entristecida pelo julgamento nebuloso da OIPIC e que esperava que a ONG da América do Sul se desse conta em breve da natureza séria das suas ações ilegais em potencial antes que tivesse problemas com a lei.

Atualmente, as negociações entre as duas entidades cessaram e o futuro dos leões e tigres não está claro.  A OIPIC declarou recentemente que ela quer manter os animais no Paraguai e levantar dinheiro para construir um novo lar para eles lá.

Independente do retorno dos animais à Argentina… ou ida dos mesmos a um santuário nos Estados Unidos... ou permanência deles no Paraguai... uma coisa está clara.  Seja quem for que assegure a liberdade dos animais do circo terá que fazer isso sem pedir que pessoas doem dinheiro para a compra destes, já que agora ficou claro que isso romperia com importantes tratados CITADOS e leis internacionais.

Sobre o Santuário para Animais Selvagens:
Rocky Mountain Wildlife Conservation Center, Inc., DBA The Wild Animal Sanctuary é um refúgio de 720 acres para animais carnívoros grandes que foram confiscados de situações ilegais ou abusivas. O Santuário está localizado a 30 milhas do nordeste de Denver, Colorado, perto da cidade de Keenesburg. Atualmente, a organização sem fins lucrativos cuida de mais de 290 leões, tigres, ursos, lobos e outros carnívoros grandes e oferece cuidados ao longo da vida para seus animais resgatados.  O Santuário é o mais antigo e o maior santuário existente e está em operação desde 1980.  O local se difere entre outros porque oferece áreas grandes de habitats naturais para que os seus animais resgatados possam viver e perambular livremente. O Santuário está aberto diariamente ao público com propósitos educacionais e oferece uma elevada caminhada chamada de "Mile Into The Wild (Milha dentro da Vida Selvagem)" que os visitantes utilizam para ver os animais em seus habitats naturais.

FONTE  The Wild Animal Sanctuary

FONTE The Wild Animal Sanctuary

SOURCE The Wild Animal Sanctuary



More by this Source


Custom Packages

Browse our custom packages or build your own to meet your unique communications needs.

Start today.

 

PR Newswire Membership

Fill out a PR Newswire membership form or contact us at (888) 776-0942.

Learn about PR Newswire services

Request more information about PR Newswire products and services or call us at (888) 776-0942.