A Exposição Inaugural do Jonas Mekas Visual Arts Center (lit. Centro de Artes Visuais Jonas Mekas) (JMVAC) Abre em Vilnius, Lituânia, a Nova Capital Mundial da Vanguarda e do Fluxus do Século XXI

25 out, 2007, 19:37 BST De Maya Stendhal Gallery

NOVA IORQUE, October 25 /PRNewswire/ --

O Jonas Mekas Visual Arts Center (JMVAC) em Vilnius, Lituânia, tem a honra de anunciar a sua exposição de estreia, A Vanguarda: Do Futurismo ao Fluxus, que abre ao público a 5 de Novembro de 2007 e mantém-se até 3 de Fevereiro de 2008. A exposição enfatiza a história da vanguarda através das suas figuras mais icónicas e um vasto conjunto de meios que inclui filmes, fotogramas, instalações, objectos Fluxus e documentos, esculturas, vídeo e poesia, que em conjunto estimularam novas formas de pensar sobre a arte, a cultura e a sociedade. Mais ainda, a exposição representa a celebração do regresso a casa de dois dos artistas mais prolíficos da Lituânia: o realizador pioneiro e vanguardista Jonas Mekas e George Maciunas, o impresario e "Presidente" do movimento artístico internacional dos anos 60, Fluxus.

Kazys Binkis, o poeta e escritor futurista cuja actividade literária despertou a Lituânia para a filosofia e estética da vanguarda detém um lugar honorário no programa.

Jonas Mekas "O Padrinho do Cinema de Vanguarda Americano" apresenta novas instalações nas quais a imagem parada e em movimento se juntam numa apresentação multimédia espectacular. A sua Colecção de 40 Curtas Metragens é exibida em monitores e projecções de parede em conjunto com 40 fotogramas extraídos desta série fascinante, demonstrando as inovações formais de Mekas bem como a sua importância como documentalista. Entre as bem conhecidas personalidades que aparecem nos seus filmes estão: John Lennon, Salvador Dali, George Maciunas, Richard Serra, Nam June Paik, Andy Warhol e Allen Ginsberg, o que nos lembra que os filmes de Mekas representam algumas das melhores filmagens históricas da Vanguarda existentes desde os anos 60 até ao presente. Também presente estará "Zéfiro Torna: Cenas da Vida de George Maciunas" (1992), a homenagem cinematográfica de Mekas ao seu amigo e colaborador de longa data. Completando o filme estão 40 fotogramas que Mekas compôs especialmente para a exposição.

"Com esta exposição, Vilnius deu outro passo muito importante no sentido de se tornar a nova capital mundial da vanguarda e do Fluxus no século XXI", afirmou Arturas Zuokas, o Presidente do Conselho Administrativo do Jonas Mekas Visual Arts Center.

Alguns trabalhos essenciais foram seleccionados a partir da colecção Fluxus recentemente adquirida pelo Centro. O sinal readymade de Maciunas, "No Smoking" (1963/1973), o seu trabalho de colaboração com George Brecht elaborado durante Iced Dice (1964) e o Do It Yourself (1966) de Yoko Ono demonstram a ênfase do movimento no humor e no desejo de construir arte a partir de objectos e acções quotidianos. Os documentos da 80 Wooster Street descrevem a visão de Maciunas em converter edifícios industriais do bairro SoHo, na baixa de Nova Iorque, em Cooperativas de Artistas Fluxhouse, concedendo-lhe o título de "Pai do SoHo". Também em exibição estará a instalação de vídeo conceptual de Nam June Paik, "Real Plant/Live Plant" (1978). Em mostra, estarão documentários importantes, incluindo o Some Fluxus (1991), de Larry Miller, o Fluxus Soho Tour (1994), de Shigeko Kubota, e The Misfits de Lars Movin: 30 Years of Fluxus (1993), de Lars Movin, dando a percepção do movimento Fluxus como um todo, bem como do seu carismático "Presidente". A extensa produção Fluxfilm Anthology (1962-70) de Maciunas resume o compromisso crítico, e no entanto jocoso, do grupo com a tradição cinematográfica.

Jonas Mekas supervisiona especificamente uma lista de filmes de visionários do cinema de vanguarda. Assim distinguidos estão Un Chien Andalou (1929), de Luis Bunuel escrito em colaboração com Salvador Dali, Anemic Cinema (1926), de Marcel Duchamp, Rhythmus 21 (1921), de Hans Richter, Ballet Mecanique (1924), de Fernand Leger e Arnulf Rainer (1960), de Peter Kubelka.

Jonas Mekas felicita a abertura do JMVAC: "Obrigado a Arturas Zuokas e Kristijonas Kucinskas! Sinto que hoje em dia é importante fazer um desvio das realidades diárias, de mudar a direcção, de avançar em direcção a outras realidades, a outras realidades, a outras realidades ---"

Esta exposição memorável culmina no momento histórico em que a Lituânia assume a respeitada posição de Capital Europeia da Cultura em 2009. Tal distinção internacional confirma o facto de que um novo e vibrante período da cultura Lituana já emergiu.

A exposição será acompanhada de um catálogo de página inteira a cores com ensaios de R. Bruce Elder, P. Adams Sitney, Amy Taubin, Mari Dumett, Julia Robinson, Carolina Carrasco, Astrit Schmidt-Burkhardt e Hollis Melton.

A Maya Stendhal Gallery é um dos curadores da exposição.

Web site: http://www.mekas.lt

FONTE Maya Stendhal Gallery