A Women for Positive Action destaca a permanente necessidade de mais investigação sobre as diferenças de gênero nos resultados do HIV

29 nov, 2012, 11:21 GMT De Women for Positive Action

LONDRES, November 29, 2012 /PRNewswire/ --

Para assinalar o Dia Mundial da SIDA (1 de Dezembro de 2012), a Women for Positive Action publicou um artigo em que destaca a insuficiência de mulheres nos testes clínicos do HIV (atualmente apenas em torno de 20%) e discute dados científicos recentes que apresentam as diferenças relacionadas com o gênero nos resultados virológicos e clínicos da terapia anti-retroviral. O artigo, disponível em: http://www.womenforpositiveaction.org, destaca a necessidade de se recolherem dados específicos por gênero na investigação do HIV, de modo que as decisões clínicas relativas à terapêutica possam ser orientadas convenientemente.

Sharon Walmsley, médica especialista em HIV/AIDA no Canadá e professora universitária da Women for Positive Action, explica que a "não é adequada a extrapolação para as mulheres, a partir de dados obtidos em homens que participam dos ensaios clínicos ,sendo pouco científica. Apenas com dados sobre efeitos específicos (tanto positivos como negativos) de intervenções em mulheres teremos conhecimentos para aplicar no tratamento de mulheres e otimizar futuros resultados. Já não basta apenas apresentar dados sobre a distribuição por gêneros - as investigações precisam considerar o gênero nas fases de planeamento e análise dos testes clínicos." O artigo, desenvolvido por Sharon Walmsley, Mona Loutfy, Lorraine Sherr, Karine Lacombe e Ophelia Haanyama Ørum em representação da Women for Positive Action, disponibiliza outras opiniões especializadas sobre as implicações da falta de dados que incidam especificamente sobre as mulheres que vivem com o HIV.

"Muitos dos estudos que analisamos indicam que as mulheres podem ter pior prognóstico em relação às consequências do HIV. Isto pode ser o resultado de diferenças biológicas, comportamentais, farmacológicas e sociais entre mulheres e homens" acrescentou Annette Piecha, membro da Rede de Ativistas para a Terapia DCAB HIV, da Alemanha, e o Grupo Europeu para o Tratamento da AIDS. "Compreender o efeito específico da doença e dos tratamentos é um passo fundamental para melhorar as vidas das mulheres e para trabalhar no sentido de eliminar as desigualdades de gênero no HIV/SIDA."

A Women for Positive Action é uma aliança de profissionais de saúde, representantes da comunidade e mulheres que vivem com o HIV, provenientes de toda a Europa, Canadá, América Latina e África do Sul, criada para abordar e resolver os problemas que enfrentam as mulheres que vivem com o HIV e os que dizem respeito ao seu tratamento. Para mais informação visite o site http://www.womenforpositiveaction.org.

Notas para os Editores

Embora as mulheres representem 50% das pessoas que, globalmente, vivem com o HIV e seja um dos grupos da população que apresenta um crescimento mais rápido do risco de infecção pelo HIV, a investigação dirigida para os problemas específicos das mulheres é relativamente escassa e as mulheres constituem apenas cerca de 20% dos participantes em ensaios clínicos do HIV até ao momento. No âmbito da sua missão, a Women for Positive Action pretende aumentar o conhecimento sobre estudos recentes e em curso que são dirigidos às mulheres. Visite o site multilíngue http://www.womenforpositiveaction.org para obter mais informações sobre a Women for Positive Action e os projetos em curso; como alternativa também poderá seguir-nos em Twitter @WFPA_HIV. O Women for Positive Action é um programa educativo financiado e iniciado pela Abbott Laboratories.

Referências

1. Relatório ONUAIDS. Resposta Global HIV/AIDS 2011. Disponível em:


http://www.unaids.org/en/media/unaids/contentassets/documents/unaidspublication/2011/20111130_UA_Report_en.pdf

2. Soon G G et al. (2012) Meta-analysis of gender differences in efficacy outcomes for HIV-positive subjects in randomized controlled clinical trials of antiretroviral therapy (2000-2008). AIDS Patient Care STDS; 26(8): 444-53


Para obter mais informações poderá entrar em contato com o secretariado da Women for Positive Action:

E-mail: WFPA@litmus-mme.com

Twitter: @WFPA_HIV

Tel: +44(0)20-7632-1969

Endereço: Women for Positive Action, Program Secretariat, Litmus MME, 151 Shaftesbury Avenue, London WC2H 8AL, United Kingdom

FONTE Women for Positive Action