Angola << A Preparar-se para Preparar >> a Eleição de 2007: Líder da Oposição Pede à América que Incite o Governo a Avançar com a Eleição

24 jul, 2006, 17:19 BST De Party for Social Renewal

WASHINGTON, July 24 /PRNewswire/ --

A Sub-Comissão da Câmara de Representantes dos Estados Unidos para a África, Direitos Humanos e Operações Internacionais teve uma audiência de supervisão para analisar a eleição em Angola, há muito adiada. O líder da oposição Dr. Eduardo Kuangana, Presidente do Partido para a Renovação Social, comentou que o testemunho da audiência revelou que, na melhor das hipóteses, o governo angolano tem estado nos últimos quatro anos a << preparar-se para preparar >> uma eleição.

Em resposta às questões do Presidente da Comissão Chris Smith (R-NJ), a embaixadora angolana nos Estados Unidos, Josefina Diakita, revelou que o país enfrenta vários obstáculos antes de conseguir levar a cabo uma eleição bem sucedida, entre os quais se destacam o problema constante dos terrenos minados e as estruturas subdesenvolvidas. Confirmou a promessa anterior do governo de convocar eleições em 2007.

Porém, testemunhas especializadas, incluindo Dan Mozena, Chefe do Gabinete de Questões Sul-Africanas do Ministério dos Negócios Estrangeiros dos EUA, e o Dr Paul Bonicelli, USAID Vice- Administrador Assistente para a Democracia e Governação referiu que houve muito pouco progresso visível na preparação para a votação.

Em resposta ao testemunho apresentado na audiência, o Dr. Kuangana pediu a ajuda dos EUA para usarem a sua posição única, como maior parceiro nas exportações de Angola, a fim de pressionarem o governo a criar reformas eleitorais necessárias para realizarem a eleição no próximo ano. Comentou ainda: << Sondagens de opinião pública encomendadas pelo Instituto Republicano Nacional e Instituto Nacional Democrático para os Negócios Estrangeiros mostram que os Angolanos estão desejosos de eleições. A afluência às urnas em 1992 foi superior a 80% dos eleitores recenseados e as sondagens indicam que um número semelhante de votantes está preparado para ir às urnas amanhã. >>

Advertiu contra a possibilidade de se concluir que Angola precisa de mais tempo antes que a realização de eleições nacionais seja possível. << É importante distinguir entre acesso inconveniente e impossível aos locais de voto.>>

Angola é um importante beneficiário da ajuda americana, contudo, espantosamente, Angola é um país rico em petróleo, diamantes, ouro e urânio.<<O governo angolano está agora a receber um maná do céu com o preço crescente do petróleo. Agradecemos a ajuda prestada pelos Americanos, mas Angola não precisa de ajuda monetária dos EUA. Do que Angola precisa é de novas eleições democráticas e livres. >>

FONTE Party for Social Renewal