CGAP Impulsiona o Alargamento da Banca Móvel para Chegar às Pessoas mais Pobres do Mundo

16 nov, 2010, 17:55 GMT De CGAP

WASHINGTON, November 16, 2010 /PRNewswire/ --

Programas inovadores de banca móvel e de agência permitiram que pessoas pobres, desde o Quénia às Filipinas, tivessem acesso, pela primeira vez, a serviços financeiros. O CGAP anunciou hoje um compromisso de mais 3 anos para levar este conceito inovador a mais milhões de pessoas em todo o mundo.

A Fundação Bill & Melinda Gates está a conceder ao CGAP, um grupo independente de microfinança sedeado no Banco Mundial, um donativo de 6 milhões de US dólares para apoiar a fase seguinte do Programa de Tecnologia do CGAP, a fim de promover o aumento da banca móvel e de agência em países em vias de desenvolvimento. O donativo vem juntar-se a um outro maior que a fundação concedeu em 2006, bem como ao financiamento do CGAP e a 8 milhões de libras esterlinas que o Department for International Development (DFID) do RU atribuiu, em Março, ao Programa de Tecnologia do CGAP.

<< O conceito funciona. Agora é altura de tirá-lo do laboratório e colocá-lo no mainstream >>, disse Tilman Ehrbeck, CEO do CGAP. << Existe um enorme potencial para o canais inovadores de comunicação chegarem a 2,7 biliões de pessoas pobres, que não têm acesso a serviços financeiros a preços acessíveis >>.

O Programa de Tecnologia do CGAP tem por objectivo ajudar a impulsionar a expansão de uma gama de serviços financeiro às pessoas mais pobres do mundo, reduzindo significativamente os custos de transacção. Irá concentrar-se em mercados-alvo para demonstrar como é que um sistema destes funcionaria em larga escala, melhorando, ao mesmo tempo, o conhecimento e prática do ramo de forma a conseguir que os sistemas funcionem eficazmente.

O Programa de Tecnologia do CGAP irá também aconselhar os governos quanto à forma de implementar os regulamentos adequados, de forma a garantir que o crescimento é equilibrado pela protecção adequada dos clientes da banca móvel e ajudá-los a ligar redes sociais de segurança e remessas de pagamentos a redes de banca móvel a fim de garantir que os pobres podem usar mais prontamente os serviços financeiros para poupanças, pagamento de contas e até para compra de seguros.

Até ao momento, o CGAP proporcionou financiamento e orientação técnica a mais de uma dúzia de start-ups de banca móvel na Ásia, África e América Latina e efectuou pormenorizadas avaliações de política em 13 países.

<< Se queremos pegar no sucesso inicial observado nos mercado limitados até ao momento e levá-lo às pessoas, temos de ir muito mais longe para demonstrarmos o seu êxito, a sua sustentabilidade e a sua segurança para todos os envolvidos >>, disse Ehrbeck.

Só em 2009 houve 120 iniciativas de e-money em todo o mundo. A investigação do CGAP mostra que cerca de 40% dos clientes bancários sem agência, em países em vias de desenvolvimento, não tinham qualquer acesso aos serviços. Os investigadores do CGAP descobriram que a banca sem agência, cresce cinco vezes mais depressa do que as instituições tradicionais de microfinança e é 38% mais barata do que os bancos tradicionais no caso das transacções de baixo valor tipicamente efectuadas pelos pobres. Mas, segundo - CGAP, é preciso mais trabalho para criar poupança inovadora, seguros e outros produtos financeiros que tiram vantagem dos canais bancários sem balcão, a fim de fornecer um conjunto completo de serviços financeiros que os pobres podem utilizar para melhorar a vida das suas famílias.

<< Uma das principais lições é que para se atingir o nível necessário, temos absolutamente de ter os modelos certos de negócio e a legislação certa para garantir que as pessoas que dependem da banca sem balcão podem confiar em que ela irá durar e será segura >>, disse Stephen Rasmunssen, Gerente do Programa Tecnológico do CGAP.

Este donativo foi anunciado hoje, por Melinda French Gates no Global Savings Forum, em Seattle, Washington, como parte do compromisso de 500 milhões de US dólares da fundação para alargar o acesso a contas poupança e ajudar os pobres do mundo a construírem segurança financeira. O compromisso incluía um pacote de seis donativos, totalizando 40 milhões de US dólares, da iniciativa Financial Services for Poor da fundação, para apoiar projectos e parcerias que tragam qualidade, contas poupança acessíveis e outros serviços financeiros até aos pobres dos países em vias de desenvolvimento.

Sobre o CGAP

O CGAP é um centro independente de política e investigação dedicado a disponibilizar acesso financeiro aos pobres do mundo. É apoiado por mais de 30 agências de desenvolvimento e fundações particulares que partilham uma missão comum a de aliviar a pobreza. Sedeado no Banco Mundial, o CGAP fornece informação de mercado, promove padrões, desenvolve soluções inovadoras e oferece serviços de assessoria a governos, prestadores de microfinanciamento, beneméritos e investidores. Mais em http://www.cgap.org.

FONTE CGAP