Consolidação de Quimioterapia com Zavalin(R) (90Y-Ibritumomab fluxetan) Pode Proporcionar Benefícios Terapêuticos em Doentes com Linfoma da Célula Manto

12 dez, 2005, 14:40 GMT De Jagiellonian University

ATLANTA, December 12 /PRNewswire/ --

- Primeiros Resultados Indicam que o Zavalin Pode Ser Administrado com Segurança depois de Terapia Baseada em Fludarabina com uma Melhor Taxa Geral de Reposta

Segundo descobertas recentes em ensaios, a consolidação da quimioterapia padrão com Zevalin (R) (90Y-Ibritumomab tiuxetan), foi bem tolerada, segura e eficaz em doentes que sofrem de linfoma da célula manto (MCL), um linfoma de célula B com um prognóstico especialmente mau. Os resultados apresentados durante a 47 Encontro anual da American Society of Hematology (ASH) demonstraram que 75% dos doentes passavam de uma resposta parcial (PR) para uma resposta completa (CR) sem nódulos linfáticos palpáveis ou massas mensuráveis nos scans CT depois do tratamento com Zevalin depois da quimioterapia baseada na fludarabina (fludoarabina, ciclofosfamida e mitroxatone (FCm)).

<<No passado, a rádio-imunoterapia (RIT) sem uma quimioterapia anterior baseada na fludarabina não teve êxito em doentes de MCL devido à carga tumoral ser demasiado grande,>> disse Wojciech Jurczak, médico e professor, do Departamento de Hematologia, do Collegium Medicum Jagiellonian University, Cracóvia, Polónia. <<Este resultados indicam que o uso da fludarabina antes do RIT pode sensibilizar o tumor para os efeitos radiotóxicos do RIT, desfazendo assim a carga do tumor, o que pode melhorar os benefícios da terapia.>>

Pormenores do Ensaio

Dos 26 doentes incluídos no estudo, 23 foram sujeitos ao regime de consolidação do Zevalin. Atá ao momento, 20 doentes concluíram todo o protocolo. A seguir ao tratamento com o Zevalin, 80 por cento (16 a 20 doentes) atingiram uma CR, com 3 outros doentes a conseguirem uma resposta parcial a uma maior não progressão (PR) depois de tratados com o Zevalin. Apenas um doente chegou a um PR, progredindo nos meses seguintes. Actualmente a resposta terapêutica está a ser monitorizada às seis semanas e aos três meses seguida de três meses de intervalo durante um período até dois anos para avaliar o tempo de progressão (TTP).

Na maior parte dos doentes a contagem de glóbulos brancos e contagem de plaquetas diminuiu nas primeiras quatro a cinco semanas depois de serem tratados com Zevalin, com citopenias que duraram uma média de oito a dez semanas. Apesar da neutropenia prolongada e da trombocitopenia os efeitos secundários são controláveis. Nenhum dos doentes desenvolveu infecções graves que pusessem em risco a vida, embora seis doentes necessitassem de hospitalização, incluindo 4 por doenças prolongadas e recorrentes, como a pneumonia.

Os doentes tratados com três a seis, ciclos de três semanas de quimioterapia recorrente padrão - fludarabina, ciclofosfamida e mitroxatone e rituximab (FCM mais ou menos R) - para reduzir a carga tumoral. Após a conclusão do terceiro ciclo, a regressão do tumor foi avaliada e os doentes que registaram uma resposta completa ou parcial passaram à fase de cosolidação do Zevalin. Os doentes recebiam 250 mg/msquared de rituximab, seguidos de uma segunda dose de rituximab e Zevalin.

Sobre o Linfoma da Célula Manto

O linfoma de célula manto (MCL) é também descrito como linfoma de célula B não-Hodgkin chamado por vezes linfoma de célula small-cleaved intermédio de linfoma de diferenciação e linfoma dentrocítico. Apenas 2,4-4 por cento de todos os linfomas não-Hodgkin nos E.U.A. e 7 a 11 por cento dos linfomas na Europa são linfoma de célula manto. O MCL afecta sobretudo homens com mais de 50 anos, que apresentam quase sempre fases II e IV avançadas da doença. O envolvimento da medula óssea está presente em 60 a 90 por cento dos doentes. O linfoma da célula manto tem sido historicamente resistente às abordagens com quimioterapia padrão actual.

Sobre o Zevalin(R)

Zevalin é a primeira rádio-imunoterapia a tratar formas de NHL. Conjuga, eficazmente, a capacidade de atingir o alvo um anticorpo mono clonal anti-CD20, com poder citotóxico de uttrium-90 radiação beta pura, para erradicar células do tumor. A ligação do anticorpo marcado pelo rádio às células NHL permite que a radiação penetre no tumor de vários ângulos e crie um potente fogo cruzado destruidor de células cancerosas. O Zavalin foi aprovado pela Food and Drug Administration dos E.U.A. para uso no tratamento de célula-B folicular ou transformada, de baixo grau, refractária ou com recaída, em Fevereiro de 2002. A Schering AG, Alemanha recebeu a aprovação da União Europeia para o Zevalin, para tratamento de doentes adultos refractários ou com recaída, com rituximab, de linfoma não-Hodgkin de célula B folicular CD-20-positivo (NHL) em Janeiro de 2004.

Sobre a Instituição

O Polish Lymphoma Research Group (PLRG) proporciona uma plataforma para iniciar e coordenar ensaios clínicos - a maior parte das instituições de hematologia e oncologia estão filiadas. O Departamento de Hematologia da Jagiellonian University de Cracóvia é o principal departamento de hematologia do Sudoeste da Polónia e serve de centro de referência e de transplante de células indeterminadas para uma população de cerca de 6 milhões. Nos últimos anos, o Departamento de Cracóvia geriu e coordenou dois ensaios em multi-centros em doentes de MCL. Dentro do PLRG há 5 centros capazes de efectuar procedimentos de rádio-imunoterapia, embora 80% sejam realizados em Cracóvia.

    
    Contacto:
    Wojciech Jurczak, M. D. Ph.
    Dept of Hematology
    Medical College, Jagiellonian University
    Kopernika 17, 31-501 Cracow, Poland
    Telf: +48-602-33-82-90
    Email: wjj2004@wp.pl

FONTE Jagiellonian University