Desempenho da Vale em 2008

12 ago, 2008, 12:24 BST De Companhia Vale do Rio Doce

RIO DE JANEIRO, Brasil, August 12 /PRNewswire/ --

A Companhia Vale do Rio Doce (Vale) continuou no segundo trimestre de 2008 (2Q08) a apresentar um desempenho operacional e financeiro excelente, marcado por uma produção recorde de níquel, chumbos e carvão, carregamentos de minério de ferro e de chumbos, receita bruta, lucro de exploração, criação de dinheiro vivo e ganhos líquidos.

O excelente desempenho da Vale pode ser visto não apenas em comparação com períodos anteriores, mas acima de tudo tendo em conta o ambiente hostil que prevaleceu na primeira metade deste ano e que envolveu a desvalorização crescente do dólar americano, os aumentos significativos do preço de inputs, equipamento e serviços de engenharia, a queda do preço do níquel dos seus níveis históricos de segundo trimestre de 2007 e várias dificuldades que as actividades de exploração enfrentaram.

A Vale continua no caminho de criação de valor para o accionista, levando a cabo a sua estratégia de crescimento com disciplina e coerência próprias da sua visão de longo prazo dos mercados.

Os principais destaques do desempenho no segundo trimestre de 2008 foram:

- Envios recorde de carregamentos de minério de ferro e de chumbo: 78 858 milhões de toneladas métricas, um aumento de 7,9% em relação ao segundo trimestre de 2007.

- Receita bruta recorde: US$10 897 biliões, 22,5% mais do que os US$ 8 899 biliões do segundo trimestre de 2007, o recorde anterior. A receita acumulada para a primeira metade de 2008 foi de US$ 18 945 biliões em comparação com US$ 16 579 biliões na primeira metade de 2007.

- Lucro de exploração recorde, conforme avaliado pelo EBIT ajustado (a) (ganhos antes de juros e impostos): US$ 5 235 biliões, foi 19,5% mais elevado do que no segundo trimestre de 2007. Na primeira metade de 2008 o EBIT ajustado de US$ 8 150 biliões aumentou 15,1% relativamente à primeira metade de 2007.

- A margem ajustada de EBIT de 49,4%, contra 50,4% no segundo trimestre de 2007 e 37,2% no primeiro trimestre de 2008.

- Criação recorde de dinheiro vivo, conforme avaliado pelo EBITDA ajustado (b) (ganhos antes de juros, impostos, depreciação e amortização): US$ 6 218 biliões no segundo trimestre de 2008, um aumento de US$ 1 161 em relação ao recorde do segundo trimestre de 2007 de US$ 5 057 biliões. Na primeira metade de 2008, o EBITDA ajustado atingiu US$ 9 947 biliões em comparação com US$ 8 241 biliões na primeira metade de 2007.

- Ganhos líquidos recorde: US$ 5 009 biliões, igual a US$ 1,02 por acção numa base totalmente diluída, um aumento de 22,3% do resultado recorde do segundo trimestre de 2007 de US$ 4095 biliões. Na segunda metade de 2008 os ganhos líquidos atingiram US$ 7 030 biliões, contra US$ 6 312 biliões na primeira metade de 2007.

- O risco de crédito da Vale foi actualizado para BBB+ pela Standard & Poor, como reconhecimento da sua capacidade de financiar os seus planos de crescimento, mantendo ao mesmo tempo um balanço saudável.

- Os investimentos no segundo trimestre de 2008 totalizaram $US 2312 biliões, dos quais US$ 1788 biliões referentes a crescimento orgânico e US$ 524 milhões para manter as operações existentes. Na primeira metade de 2008 a Vale investiu US$ 4 007 biliões contra US$ 2 799 biliões na primeira metade de 2007.

- Dois projectos de nível mundial iniciaram as operações: Paragominas II e Alunorte 6&7. A expansão da capacidade da nossa refinaria apoiada por grandes reservas de bauxite de alta qualidade consolida a sua posição como a maior fábrica de alumina do mundo. Além desses, mais quatro importantes projectos foram apresentados na primeira metade de 2008: Zuhai, Fazendao, Samarco III e Dalian.

- Em Maio os comboios de 330 vagões começaram a funcionar no caminho-de-ferro (EFC) de Carajas. Esta inovação oferece mais flexibilidade e aumenta a produtividade da nossa exploração logística de minério de ferro.

- Na sequência de um empenhamento estratégico chave, o nosso investimento na responsabilidade social da empresa atingiu os US$ 302 milhões, dos quais US$ 201 milhões foram atribuídos à protecção ambiental e US$ 101 milhões a projectos sociais.

Na primeira metade de 2008, estes investimentos totalizaram US$ 382 milhões, com US$ 272 milhões no ambiente e US$ 110 milhões na acção social.

    
    Web site: http://www.cvrd.com.br
              http://www.vale.com

FONTE Companhia Vale do Rio Doce