Grifols Inicia Investigação Clínica para Novo Protocolo de Tratamento para a Doença de Alzheimer

03 jun, 2010, 20:20 BST De Grifols, SA

BARCELONA, Espanha, June 3, 2010 /PRNewswire/ --

- Um novo ensaio clínico deverá começar em Janeiro de 2011

- Resultados provisórios de um ensaio anterior publicado em Setembro de 2009 demonstraram esperança no tratamento da Doença de Alzheimer utilizando plasmaférese terapêutica em combinação com infusões de albumina humana.

- A nova investigação clínica de 2011 irá complementar o ensaio anterior ao utilizar um tratamento combinado de plasmaférese terapêutica e a administração de albumina humana e inmunoglobulina intravenosa.

- A Fenwal, Inc. concordou em conceber e desenvolver um protótipo especial de um dispositivo de plasmaférese, especialmente desenhado para apoiar a nova investigação clínica da Doença de Alzheimer.

A Grifols, SA, uma empresa global de cuidados de saúde especializada nas aplicações clínicas de proteínas de plasma humano, anunciou na sua reunião anual com investidores e analistas que irá iniciar uma nova investigação clínica sobre a Doença de Alzheimer em Janeiro de 2011 com a inscrição antecipada de mais de 300 doentes.

A nova investigação clínica envolve um tratamento combinado de plasmaférese terapêutica e a administração de albumina humana e inmunoglobulina intravenosa em diferentes doses e frequências. A albumina humana e a inmunoglobulina intravenosa são duas das principais proteínas terapêuticas de plasma produzidas pela Grifols a partir de doações de plasma de sangue humano em centros dedicados espalhados pelos Estados Unidos.

Em conjunção com o anúncio da nova investigação clínica, a Grifols também anunciou que assinou um acordo exclusivo de concepção e desenvolvimento com a empresa norte-americana Fenwal, Inc. (http://www.fenwalinc.com), para a produção de um dispositivo protótipo de plasmaférese especificamente adaptado para utilização na investigação do Alzheimer por parte da Grifols. A Fenwal deverá entregar o primeiro protótipo no final deste ano.

Antecipa-se que o estudo de 2011 irá ter desenrolar ao longo de dois anos.

"Esta é uma nova e promissora área da medicina com o potencial de melhorar significativamente a qualidade de vida para milhões de pessoas e famílias," disse William H. Cork, CTO e Vice-Presidente Sénior da Fenwal. "Estamos satisfeitos por nos associarmos à Grifols na exploração desta nova abordagem à terapia baseada em plasma para o tratamento da Doença de Alzheimer. Acreditamos que a nossa tecnologia de aférese está perfeitamente adequada a um leque de aplicações terapêuticas," disse Cork.

Em Setembro de 2009, a Grifols publicou os resultados interinos de um ensaio clínico que incluiu 42 pacientes de três centros de investigação clínica em Espanha e dois nos Estados Unidos. O estudo envolveu a plasmaférese terapêutica e a administração de albumina humana. Os resultados preliminares sugeriram uma tendência para a estabilização da doença no grupo de tratamento. A nova investigação clínica anunciada constrói-se a partir dos resultados do anterior estudo, expandindo o número de sujeitos e alterando o regime de tratamento.

A investigação da Grifols sobre a Doença de Alzheimer é consistente com os seus objectivos de pesquisa e desenvolvimento de avaliar os benefícios terapêuticos das proteínas de plasma humano em benefício dos indivíduos que sofrem desta doença debilitante.

Sobre a Doença de Alzheimer

Acredita-se que a doença de Alzheimer atingirá proporções epidémicas no século XXI, com um impacto rápido na população mais velha dos países desenvolvidos. De acordo com a Associação de Alzheimer, a doença afecta 10% das pessoas com mais de 65 anos e cerca de 30% das pessoas com mais de 85. Nos Estados Unidos, existem 4,5 milhões de doentes e calcula-se que o número poderá subir para os 15 milhões em 2050. Os custos na saúde, directos e indirectos, dos cuidados dos doentes podem ser estimados na ordem dos 85 mil milhões de euros por ano apenas nos Estados Unidos.

Sobre a Plasmaférese

A plasmaférese é uma técnica utilizada para separar o plasma de outros componentes do sangue, como glóbulos vermelhos, plaquetas e outras células. Quando alguém doa plasma, estes outros componentes são devolvidos ao dador durante o processo de doação.

No caso da plasmaférese terapêutica, o processo é similar, mas a maioria do plasma do paciente é extraído e substituído com albumina, que é utilizada para suspender as células sanguíneas antes da re-infusão. O uso generalizado da técnica da plasmaférese como um método de obter plasma é o resultado de uma investigação conduzida pelo Dr. J. A. Grifols Lucas em 1940, que apresentou no Congresso Internacional de Transfusões, em Lisboa em 1951.

Sobre a Fenwal

A Fenwal, Inc. é uma empresa mundial de tecnologia médica orientada para a melhoria da recolha, filtragem, separação, armazenamento e transfusão de sangue para garantir a disponibilidade, segurança e eficácia do sangue e seus componentes. A Fenwal é única na profundida da sua experiência e compromisso para a medicina de transfusões. A empresa oferece o leque mais amplo de produtos para a recolha automática e manual de sangue e de componentes de sangue. A Fenwal tornou-se uma empresa independente em 2007, mas as suas raízes remontam a 1949 com a fundação da Fenwal Laboratories. A Fenwal desenvolveu o primeiro contentor flexível, de uso único para recolha de sangue, eliminando as complicações associadas com os contentores de vidro e permitindo que o sangue seja separado em componentes terapêuticos. Hoje, os produtos da empresa e as tecnologias avançadas de recolha e separação são usadas para ajudar a tratar pacientes em seis continentes. A Fenwal, Inc. está sedeada em Lake Zurich, Illinois. Para mais informações, por favor visite http://www.fenwalinc.com

Sobre a Grifols

A Grifols é uma holding espanhola especializada no sector farmacêutico-hospitalar e está presente em mais de 90 países. Desde 2006, a empresa está na Bolsa de Valores espanhola ("Mercado Continuo") e é parte do Ibex-35. Actualmente, é a primeira empresa no sector europeu na área dos derivados de plasma e é a quarta na produção mundial. No futuro próximo, a empresa irá reforçar a sua liderança no sector como uma empresa verticalmente integrada, graças a investimentos recentes. No que respeita a matéria-prima bruta, a Grifols assegurou o fornecimento de plasma com 80 centros de plasmaférese nos Estados Unidos e, no que respeita à destilação fraccionada, as suas instalações em Barcelona (Espanha) e Los Angeles (Estados Unidos) irão permitir à empresa responder à crescente procura do mercado. No entanto, a empresa está a preparar o crescimento sustentado nos próximos 8-10 anos e lançou um ambicioso plano de investimentos. Visite http://www.grifols.com para mais informações.

FONTE Grifols, SA