Novo website para rastrear as origens de Africanos escravizados

- Procura-se assistência voluntária de africanos, da diáspora africana e pesquisadores de todo o mundo

27 abr, 2011, 08:00 BST De Emory University - African Origins Project

ATLANTA, April 27, 2011 /PRNewswire/ -- Pouco se sabe acerca da ancestralidade de africanos carregados pelo comércio transatlântico de escravos. Um novo website, lançado pela Emory University essa semana, visa suprir tal lacuna. A página Origens Africanas oferece raras informações sobre as identidades de africanos transportados por navios negreiros em princípios do século dezenove e, com tais dados, a possibilidade de traçar as origens de milhares de outros africanos carregados à força para as Américas. A participação do público será fundamental na construção dessa história, ainda inexistente.

(Logo: http://photos.prnewswire.com/prnh/20100819/AFRICANORIGINSLOGO)

Usuários do Origens-Africanas podem fazer suas buscas em uma base de dados dos africanos libertados de navios negreiros, com informações como sexo, idade, porto africano de partida e, acima de tudo, um nome africano. Como nomes utilizados em línguas africanas e grupos sociais continuaram a serem utilizados de forma consistente ao longo dos dois últimos séculos, dos milhares de nomes listados nessa base de dados oferecem dicas importantes acerca das origens étnicas e linguísticas dos africanos a bordo dessas embarcações.

Pesquisadores agora buscam auxílio na identificação dos correspondentes modernos desses nomes bem como das línguas e etnias com as quais os mesmos provavelmente são conectados. Através da página Origens-Africanas, indivíduos com conhecimento de línguas africanas e práticas culturais de nomeação podem sugerir tais conexões. Em poucos minutos, visitantes podem buscar e ouvir nomes conhecidos para daí contribuírem com um correspondente moderno, uma língua ou um grupo étnico, ajudando, assim, a identificar as origens linguísticas, étnicas e geográficas das pessoas listadas nos documentos e, consequentemente, as prováveis origens de milhões de outros africanos anônimos escravizados durante esse período.

Com essas idéias, pesquisadores trabalhando como editores da base de dados podem considerar a vasta gama de línguas e grupos possíveis de serem associados com um nome ao pesquisarem a história das localizações e movimentações de povos na África. Conforme as contribuições forem recebidas e analisadas, novas informações sobre a provável língua e etnia de cada indivíduo serão adicionadas à base de dados Origens-Africanas. Visitantes da página eventualmente poderão fazer buscas por africanos através de grupos linguísticos e ver mapas das localizações históricas de pessoas carregadas pelo comércio transatlântico de escravos.

Para saber mais a respeito do projeto Origens Africanas, mande um email para african-origins@emory.edu. Para fotos e videos, visite http://africanoriginsproject.wordpress.com, e http://www.facebook.com/pages/African-Origins-Project/118092162623?ref=ts.

    
    Elaine Justice (Associate Director, Media Relations - Emory University)
    +1-404-727-0643
    ejustic@emory.edu

FONTE Emory University - African Origins Project