Para Além do Controlo dos Ataques no Tratamento da Epilepsia com o Novo Medicamento Antiepilético Zebinix(TM)

15 dez, 2008, 12:35 GMT De BIAL

PORTO, Portugal, December 15 /PRNewswire/ --

- Dados Sublinham a Eficácia, Segurança e Melhoria Significativa na Qualidade de Vida e dos Sintomas Depressivos com Zebinix(TM) (Acetato de eslicarbazepina)

Os dados positivos provenientes dos três estudos de fase III, apresentados hoje na Sociedade Americana de Epilepsia (AES), em Seatle, Estados Unidos da América, demonstraram que o Zebinix (TM) (1) (Acetato de eslicarbazepina), um novo agente, utilizado em tempos como um anti-epiléptico diário, reduziu de forma significativa a frequência de ataques parciais em doentes com epilepsia refractária parcial, em combinação com outros agentes anti-epilépticos. (2,3,4)

Zebinix (TM) é um dos nomes comerciais propostos para a UE para Acetato de eslicarbazepina.

Zebinix(TM) 800mg e 1200mg reduziu a frequência dos ataques parciais em mais de um terço ao longo de um período de 12 semanas dos estudos (5),(6),(7),(8). Para além disso, novos dados apresentados pela primeira vez na AES demonstram que a redução na frequência de ataques foi sustentada durante um período de tratamento aberto de um ano. Esta redução sustentada durante mais de um ano foi agora demonstrada em todos os estudos de fase III para o Zebinix (TM).(9),(10),(11)

"O impacto da epilepsia na qualidade de vida e no aparecimento da depressão não pode ser subestimada. Temos de ir para além do controlo dos ataques e garantir que isto é tido em consideração quando avaliamos novos tratamentos para a epilepsia," disse Joyce Cramer, investigadora na Universidade de Yale, Faculdade de Medicina, EUA e Presidente do The Epilepsy Therapy Project. "Durante os ensaios, o Zebinix(TM) demonstrou que, para além de alcançar um controlo efectivo dos ataques e uma boa tolerabilidade, também oferece melhorias significativas na qualidade de vida e uma redução nos sintomas depressivos no acompanhamento a longo prazo. Zebinix(TM) tem potencial para se tornar uma opção de tratamento importante para os doentes com epilepsia que não estão a conseguir um controlo dos ataques com os medicamentos existentes."

A epilepsia é uma das doenças neurológicas mais comuns, afectando quase uma em cada 100 pessoas. (12) O tratamento de ataques parciais, o tipo mais comum de epilepsia, torna-se um desafio constante, uma vez que metade dos doentes não alcança um controlo adequado dos ataques com os actuais medicamentos antiepiléticos. (13)

O Zebinix (TM), um novo medicamento antiepilético que inibe, de forma selectiva, as células nervosas de rápida ignição que causam os ataques, foi desenvolvido para colmatar a necessidade de um novo agente antiepilético que oferece a redução na frequência dos ataques com um perfil de tolerância favorável.

O Zebinix (TM) está, neste momento, sob apreciação pela EMEA (European Medicines Agency) para o tratamento de ataques de aparecimento parcial com ou sem generalização secundária, em combinação com outros medicamentos antiepiléticos. Uma aprovação US New DrugApplication (NDA) está actualmente a ser preparada com uma candidatura antecipada à FDA norte-americana no início de 2009.

Sobre os ensaios

Os ensaios de fase III, envolvendo vários centros, aleatórios e controlados por placebos envolveram mais de 1000 doentes de 23 países. Os doentes tinham um historial de, pelo menos, 4 ataques por mês, não obstante de realizarem tratamento com até três medicamentos antiepiléticos concomitantes. (8)

Durante os ensaios, os doentes foram escolhidos aleatoriamente para o acetato de eslicarbazepina ou para um placebo e após um período de titulação de duas semanas foram acompanhados por um período de manutenção de 12 semanas, com um acompanhamento contínuo prolongado por mais de um período de um ano do ensaio clínico aberto. (2)-(11)

Eficácia

Ao longo das 12 semanas do período de manutenção, o Zebinix (TM) 800 mg e 1200 mg reduziu a frequência dos ataques em mais de um terço e foi significativamente mais eficaz do que o placebo. Esta diminuição significativa na frequência dos ataques foi sustentada durante o período de tratamento aberto de um ano e foi consistente, independentemente da terapia de base. (2)-(11) Resultados igualmente positivos foram observados na taxa de resposta (diminuição mais ou igual que 50% na frequência dos ataques) para o Zebinix (TM) 800 mg e 1200 mg que foram desde os 34% aos 43% em todos os ensaios clínicos de fase III (5)-(7)

Tolerância

O perfil de segurança do Zebinix (TM) foi favorável. A maioria dos efeitos secundários relacionados com o tratamento foi suave ou moderado em intensidade. Após 6 semanas, a incidência de novos efeitos adversos ao nível do sistema nervoso central era baixa entre os doentes tratados com Zebinix(TM).(2)-(11) estes resultados são paralelos às descobertas anteriores de Fase 2.(16)

Qualidade de vida e sintomas depressivos

O efeito do Zebinix (TM) na qualidade de vida foi analisado através da escala do Quality of Life Epilepsy Inventory-31 (QOLIE-31). Houve uma melhoria estatística e clinicamente relevante a partir da linha de base durante a terapia aberta a longo prazo, incluindo uma melhoria relativa média na qualidade de vida global (p<0.001 - p<0.01, nos três estudos) e melhorias nos elementos individuais da escala QOLIE-31 incluindo preocupações com ataques, bem-estar emocional, energia, fatiga, efeitos medicamentosos e funções sociais.(2)-(4)

A melhoria nos sintomas depressivos foi também medida através da Montgomery Asberg Depression Rating Scale (MADRS). Durante a terapia aberta de longo prazo, Zebinix (TM) demonstrou uma melhoria significativa da linha de base da escala MADRS (p<0,0001) e nos domínios individuais da mesma escala, incluindo pensamentos pessimistas, dificuldades de concentração, tristeza aparente e tensão interior.(2)-(4)

Notas aos Editores

Sobre os ataques parciais e tratamento

A epilepsia é uma das doenças neurológicas mais comuns, afectando quase uma em cada 100 pessoas. (12) O tratamento de ataques parciais, o tipo mais comum de epilepsia, torna-se um desafio constante - cerca de dois terços dos doentes com ataques parciais não alcançam o controlo dos ataques com os actuais medicamentos antiepiléticos. (13)-(14)

Mais ainda, os efeitos secundários, como tonturas, sonolência e retardamento cognitivo, têm uma elevada prevalência nos agentes antiepiléticos e podem afectar até 97% dos doentes. (15). Assim, há a necessidade de novos agentes antiepiléticos que ofereçam uma redução efectiva na frequência dos ataques em conjunto com um perfil de segurança favorável.

A epilepsia é caracterizada pela ignição anormal dos impulsos das células nervosas no cérebro. Na epilepsia parcial, estas explosões de actividade eléctrica concentram-se inicialmente em áreas específicas do cérebro, mas podem tornar-se mais generalizadas; os sintomas podem variar de acordo com as áreas afectadas. Os impulsos dos nervos são espoletados através dos canais de sódio voltagem dependentes na membrana da célula nervosa.

Sobre o Zebinix (TM)

Zebinix (TM) é um novo bloqueador dos canais de sódio voltagem dependentes que foi concebido para reduzir a frequência dos ataques parciais quando utilizado em conjunto com outros medicamentos antiepiléticos.

Este tratamento tem o potencial de oferecer uma nova opção terapêutica aos doentes que continuam a sofrer de ataques parciais embora estando a tomar outros agentes antiepiléticos, com o potencial de benefícios adicionais no que respeita a melhorias na qualidade de vida e sintomas depressivos.(2)-(11)

A BIAL submeteu uma candidatura para a autorização de comercialização junto da EMEA em Março de 2008. A BIAL licenciou os direitos para comercializar o acetato de de eslicarbazepina nos mercados dos EUA e Canadá para a Sepracor Inc, uma empresa farmacêutica norte-americana, baseada na investigação, que está actualmente a preparar uma NDA para ser submetida junto da FDA norte-americana.

Sobre a BIAL

Fundada em 1924, a BIAL é um grupo farmacêutico internacional com produtos disponíveis em cerca de 30 países, espalhados por quatro continentes. O grupo BIAL é a maior empresa farmacêutica em Portugal e está sedeada em S. Mamede do Coronado, Portugal.

A BIAL está fortemente empenhada com a inovação terapêutica na investigação e desenvolvimento todos os anos. Este compromisso foi reconhecido com a recente integração do grupo na EFPIA (European Federation of Pharmaceutical Industries and Associations), que se dedica a encorajar a pesquisa e o desenvolvimento de novas opções terapêuticas.

As principais áreas de investigação da BIAL são o sistema nervoso central, o sistema cardiovascular e a alergologia. A dedicação da BIAL em relação à investigação é ainda mais demonstrada pelos subsídios e prémios concedidos pela Fundação BIAL.

Mais informações sobre a BIAL pode ser encontrada em http://www.bial.com

Referências

(1). Zebinix (TM) é um dos nomes comerciais propostos para a UE para Acetato de eslicarbazepina

(2). Cramer J, Elger C, Halasz P et al. An Evaluation of Quality of Life and Depressive Symptoms During Long-Term Treatment with Eslicarbazepine Acetate (Uma Avaliação da Qualidade de Vida e Sintomas Depressivos Durante o Tratamento a Longo Prazo com Acetato de eslicarbazepina): Estudo BIA-2093-301.QOL 301. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(3). Soares-da-Silva P, Martins-da-Silva A, Gabbai AA et al. An Evaluation of Quality of Life and Depressive Symptoms During Long-Term Treatment with Eslicarbazepine Acetate (Uma Avaliação da Qualidade de Vida e Sintomas Depressivos Durante o Tratamento a Longo Prazo com Acetato de eslicarbazepina): Estudo BIA-2093-302. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(4). Pereira H, Lopes-Lima J, Gil-Nagel A et al. An Evaluation of Quality of Life and Depressive Symptoms During Long-Term Treatment with Eslicarbazepine Acetate (Uma Avaliação da Qualidade de Vida e Sintomas Depressivos Durante o Tratamento a Longo Prazo com Acetato de eslicarbazepina ): Estudo BIA-2093-303. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(5). Czapinski P, Halasz P, Elger C et al. An Evaluation of Efficacy and Safety of Eslicarbazepine Acetate (ESL) as Add-on Treatment in Adults with Refractory Partial Onset Seizures (Uma Avaliação da Eficácia e Segurança do Acetato de eslicarbazepina como Tratamento Complementar de Adultos com Ataques Parciais Refratários): Estudo BIA-2093-301. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(6). Ben-Menachem E, Gabbai AA, Hufnagel A et al. An Evaluation of Efficacy and Safety of Eslicarbazepine Acetate (ESL) as Add-on Treatment in Adults with Refractory Partial-Onset Seizures (Uma Avaliação da Eficácia e Segurança do Acetato de eslicarbazepina como Tratamento Complementar de Adultos com Ataques Parciais Refratários): Estudo BIA-2093-302. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(7). Gil-Nagel A, Lopes-Lima J, Maia J et al. An Evaluation of Efficacy and Safety of Eslicarbazepine Acetate (ESL) as Add-on Treatment in Adults with Refractory Partial-Onset Seizures (Uma Avaliação da Eficácia e Segurança do Acetato de eslicarbazepina como Tratamento Complementar de Adultos com Ataques Parciais Refractários): Estudo BIA-2093-303. Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(8). Elger C, French J, Halasz P et al. An Evaluation of Efficacy and Safety of Eslicarbazepine Acetate as Add-On Treatment in Patients with Partial-Onset Seizures: Pooled Analysis of Three Double Blind Phase III Clinical Studies (Uma Avaliação da Eficácia e Segurança do Acetato de eslicarbazepina como Tratamento Complementar de Adultos com Ataques Parciais Refratários: Análise Agrupada dos Três Ensaios Cegos de Fase III). Apresentação Oral no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(9). Halasz P, Elger C, Guekht A et al. Long-Term Treatment of Partial Epilepsy with Eslicarbazepine Acetate (ESL): Results of a One-Year Open-Label Extension to Study BIA-2093-301. (Tratamento a Longo Prazo da Epilepsia com Acetato de eslicarbazepina: Resultados de uma Extensão Aberta de um Ano ao Estudo BIA-2093-301). Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(10). Gabbai AA, Ben-Menachem E, Maia J et al. Long-Term Treatment of Partial Epilepsy with Eslicarbazepine Acetate (ESL): Results of a One-Year Open-Label Extension to Study BIA-2093-302. (Tratamento a Longo Prazo da Epilepsia com Acetato de eslicarbazepina: Resultados de uma Extensão Aberta de um Ano ao Estudo BIA-2093-302). Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(11). Lopes-Lima J, Gil-Nagel A, Maia J et al. Long-Term Treatment of Partial Epilepsy with Eslicarbazepine Acetate (ESL): Results of a One-Year Open-Label Extension to Study BIA-2093-303. (Tratamento a Longo Prazo da Epilepsia com Acetato de eslicarbazepina: Resultados de uma Extensão Aberta de um Ano ao Estudo BIA-2093-303). Poster apresentado no Congresso da Sociedade Americana para a Epilepsia, 5 a 9 de Dezembro, Seattle, WA, EUA.

(12). Atlas da OMS: Cuidados na Epilepsia no Mundo: OMS 2005

(13). Mattson, RH, Cramer, JA, et al. Comparison of carbamazepine, phenobarbital, phenytoin and primidone in partial and secondarily generalized tonic clonic seizures (Comparação da carbamazepina, fenobarbital, fenitoína e primidona e ataques tónico-clónicos secundários generalizados). New England Journal of Medicine 313:145-151, 1985.

(14). Mattson, RH, Cramer, JA, et al, VA Cooperative Study Group. A comparison of valproate with carbamazepine for the treatment of partial seizures and secondarily generalized tonic-clonic seizures in adults (Uma comparação do valproato e da carbamazepina para o tratamento de ataques parciais e ataques tónico-clónicos secundários generalizados em adultos). New England Journal of Medicine, 327:765-771, 1992.

(15). Mei PA, Montenegro MA, Guerreiro MM, Guerreiro CA. Pharmacovigilance in epileptic patients using antiepileptic drugs (Farmovigilância em pacientes que utilizam medicamentos antiepilépticos). Arq Neuropsiquiatr 2006 Jun;64(2A): 198-201. Epub 2006 Jun 9

(16). Elger, C; Bialer, M; Cramer, JA; et al. Eslicarbazepine acetate: A double-blind, add-on, placebo-controlled exploratory trial in adult patients with partial-onset seizures (Um ensaio duplo-cego, complementar, controlado por placebo e exploratório em pacientes adultos com ataques parciais). Epilepsia 2007; 48: 497-504.

    
    Para mais informação por favor contactar:
    BIAL (head office)
    Francisco Osorio
    Telefone: +351-22-986-6100
    Telemóvel: +351-96-346-9968
    francisco.osorio@bial.com

    Paul Gittins
    Red Health
    Telefone: +44-207-025-6571
    Telemóvel: +44-7958-533-462
    paul.gittins@redconsultancy.com

FONTE BIAL