Um Período Excepcional: Desempenho da Vale em 2007

29 fev, 2008, 20:56 GMT De VALE

RIO DE JANEIRO, Brasil, February 29 /PRNewswire/ --

A Companhia Vale do Rio Doce (Vale) completou em 2007 o quinto ano consecutivo de um crescimento extraordinário nas suas actividades. Este processo foi sustentado por um melhoramento contínuo do desempenho operacional e financeiro, maior diversificação do seu portfólio de produtos e globalização das suas operações. A adopção, em Novembro de 2007, em todos os países onde operamos do nome Vale e do novo logótipo simboliza esta evolução.

Esta transformação reflecte a realização de um plano estratégico de longo curso, ancorado na disciplina rigorosa da distribuição do capital, na procura continua de oportunidades para a criação de valores, na preocupação constante com os custos, na concentração no capital humano e um forte compromisso com a responsabilidade social da empresa.

Nos últimos cinco anos a Vale investiu 40,7 biliões de USD, dos quais 20,6 biliões em compras e 20,1 biliões na manutenção de actividades, pesquisa e desenvolvimento (R&D) e execução de projectos.

A conclusão de vinte grandes projectos, as aquisições bem sucedidas e o aumento da produtividade foram responsáveis por uma expansão do volume da nossa produção total a uma taxa anual média de 11,6% entre 2003 e 2007. Paralelamente a este crescimento quantitativo, foram adicionados ao nosso portfólio: níquel, cobre, carvão térmico e metalúrgico, metais do grupo da platina e cobalto

Em 2007, quebramos nove recordes de produção: minério de ferro (296 milhões de T), granulados (17,6 milhões de T) níquel acabado (247.900 T), cobre (284.200 T), bauxite (9,1 milhões de T), compostos de alumínio (4,3 milhões de T), alumínio (551.000 T) caulino (1,3 milhões de T) e cobalto (2,5 mil T). A Vale reafirmou a sua liderança global como o maior produtor mundial do minério de ferro, o segundo maior de níquel e um dos principais produtores de caulino, cobalto, ligas de ferro e compostos de alumínio.

Pelo sétimo ano consecutivo, a Vale liderou as negociações dos preços de referência mundial do minério de ferro. Em Fevereiro de 2008, os preços foram fixados para os finos de minério de ferro, o principal produto da indústria, representando 70% do volume de negócios no mercado internacional.

Das negociações com os clientes asiáticos e europeus e reflectindo uma rigidez continuada do mercado mundial, resultaram novos preços, que foram fixados para os finos com um aumento de 65% durante 2007 para o Southern and Southeastern Systems (SSF) de minério de ferro, FOB Tubarao. Em simultâneo, devido à qualidade superior há muito reconhecida, foi acordado que o preço para os finos de minério de ferro de Carajás (SFCJ) terá um prémio de 0,0619 dólares por tonelada seca de unidade de Ferro sobre o preço de 2008 para o SSF.

A nossa receita bruta aumentou quase 6 vezes entre 2003 e 2007, isto é, subiram de 5,5 para 33,1 biliões de USD. Em simultâneo, o fluxo de capital, calculado segundo o EBITDA ( = Earnings Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization, lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu de forma ainda mais rápida, de 2,1 biliões de USD em 2003 para 15,8 em 2007. Os nossos ganhos líquidos chegaram aos 11,8 biliões de USD em 2007, comparados com os 1,5 biliões USD de 2003.

Ao longo deste período de cinco anos, devolvemos capital aos accionistas através de uma distribuição de dividendos na ordem de 5,3 biliões de USD. O retorno total aos accionistas foi de 73,7% por ano, a taxa mais alta entre as grandes e diversificadas empresas mineiras. A Vale é actualmente uma das 40 maiores empresas do mundo pela capitalização de mercado.

Os maiores destaques do desempenho da Vale em 2007 foram:

    
    - Recorde de vendas de minério de ferro e granulados (296 milhões T), de
      cobre (300 mil T), de compostos de alumínio (3,253 milhões T) e de 
      alumínio (562 mil T).
    - Rendimentos Brutos de 33,1 biliões de USD, o mais alto valor na
      história da Empresa, 28,8% mais do que o conseguido em 2006.
    - Lucro de exploração avaliado segundo o EBIT (Ganhos antes de juros e
      impostos), foi um recorde de 13,2 biliões de USD, o que representa mais 
      40,9% do que em 2006.
    - Uma margem avaliada segundo o EBIT de 40,9% contra 37,4% em 2006.
    - Recorde ajustado segundo o EBITDA de 15,8 biliões de USD comparado com
      os 11,4 biliões de dólares em 2006. Se excluirmos o ajustamento do 
      inventário extraordinário, segundo o EBITDA, atingiu 16,8 biliões de 
      dólares em 2007 em oposição aos 12,4 biliões em 2006.
    - Recorde de lucros líquidos de 11,8 biliões de USD, correspondentes aos
      ganhos por acção, numa base completamente diluída, de 2,42 USD, um 
      aumento de 62,9% sobre os 7,3 biliões de USD para 2006.
    - A distribuição de dividendos em 2007 foi de 1,875 biliões de USD, com
      44,2% de crescimento relativo a 2006. Os dividendos por acção em 2007
      atingiram um máximo de sempre de 0,39 USD. O retorno total aos 
      accionistas foi de 123,0%.
    - O investimento, excluindo aquisições, totalizou 7,6 biliões de USD, um
      recorde histórico e o mais alto da indústria mineira e de metais 
      mundial em 2007.
    - O investimento na responsabilidade social da empresa foi de 652 milhões
      de USD, dos quais 401 milhões de USD foram gastos na protecção e 
      preservação ambiental e 251 milhões de USD em projectos sociais.
    - Rápidas amortizações relativamente ao total da dívida/ajustado pela
      taxa EBITDA diminuiram para 1,1x no final de 2007, de 2,0x em 31 de 
      Dezembro de 2006.

    Web site: http://www.vale.com
              http://www.cvrd.com.br

FONTE VALE