Viveiro Croata de Atum Dá Enorme Passo em Direcção à Criação Sustentável do Atum de Barbatana Azul do Atlântico

08 out, 2009, 04:44 BST De Kali Tuna Doo

ZADAR, Croácia, October 8 /PRNewswire/ --

Foi conseguido um passo vital na direcção da criação de ciclo total do atum de barbatana azul do Atlântico disponível em termos comerciais, nos viveiros de Kali Tuna, uma empresa croata de criação de atum e os laboratórios da Universidade de Split. Cientistas marinhos na Universidade de Split confirmaram que a gametogénese foi finalizada e vários ovos de atum foram desovados em gaiolas ao largo da costa da Croácia.

Na experiência, mais de 800 espécimes de peixes reprodutores maduros foram mantidos numa gaiola especial desde a Primavera de 2006. Os peixes desovaram com sucesso na gaiola no início do Verão de 2009. A maior parte dos ovos foram devolvidos, de forma natural, à água, enquanto alguns ovos foram recolhidos para mais tarde serem eclodidos, com sucesso, num laboratório sedeado na Split.

Durante os passados anos, o futuro do atum de barbatana azul do Atlântico tornou-se negro, com a pesca excessiva do peixe cobiçado, que alcança mais de 25 dólares norte-americanos por cada 454 gramas no mercado de peixe Tsukiji, em Tóquio.

O segredo para a sustentabilidade na criação de atuns é domesticar o atum de barbatana azul do Atlântico ao criar um processo de criação de "ciclo de vida fechado", como feito anteriormente com o salmão e outras espécies. Este processo passa por conceber o peixe em cativeiro e fazê-lo crescer em peixes pelágicos de pequenas dimensões e menos utilizados. Os cientistas e os criadores de atum na Europa, Japão e Austrália tentavam há anos atingir a eclosão em cativeiro, uma tarefa particularmente dificultada pela falta de conhecimento sobre os hábitos de acasalamento do atum. Alguns sucessos foram já registados até à data pela Universidade Kinki, no Japão e pela Clean Seas Tuna, na Austrália; em ambos os casos, em ambientes artificiais e controlados.

"O facto do atum em cativeiro ter desovado sem hormonas ou assistência humana torna isto num acontecimento único," disse o Dr. Ivan Katavic, antigo secretário de estado das pescas na Croácia e actualmente Chefe de Laboratório no Instituto de Oceanografia e Pescas na Universidade de Split. "O nosso projecto foi desenhado para quebrar o código dos hábitos reprodutores do atum de barbatana azul do Atlântico. Pretendemos criar um ciclo de vida fechado para a criação de espécies e aliviar a pressão exercida sobre os peixes existentes nos oceanos do mundo. Este resultado é um passo significativo nessa direcção. A combinação das técnicas de criação da Kali Tuna e a localização das suas gaiolas são a chave para o nosso resultado. A Kali Tuna cria os seus peixes durante um período de tempo mais longo do que a maioria dos outros viveiros. A combinação de boas práticas de zootecnia e as condições únicas do local permite que a Kali Tuna cumpra os requisitos fisiológicos desde os peixes maduros reprodutores ao ciclo reprodutivo total em cativeiro."

Oli Valur Steindorsson é o Presidente Executivo da Kali Tuna. Nascido na vila piscatória de Akranes na Islândia, Steindorsson esteve um ano em Tóquio como aluno de intercâmbio, onde estudou a língua e cultura japonesas. Iniciou-se no negócio japonês do peixe com 17 anos como estagiário e estabeleceu a sua própria empresa de comércio de peixe uma década depois. Disse Steindorsson, "Mantivemos um objectivo claro em criar um processo de criação sustentável, de ciclo fechado, ao mesmo tempo que produzimos peixe de alta qualidade e saudável, com o menor impacto ambiental possível. As circunstâncias naturais do acontecimento criam ainda mais uma esperança de uma forma extremamente eficaz, em termos de custos, de criar peixe."

Para mais leituras, incluindo fotografias e biografias do Dr. Katavic e de Mr. Steindorsson: www.kali-tuna.com

FONTE Kali Tuna Doo