Líderes comunitários comemoram vitória da Odebrecht em licitação no Panamá

Jul 06, 2015, 16:38 ET from Odebrecht

COLÓN, Panamá, 6 de julho de 2015 /PRNewswire/ -- A Agência EFE informou, em 26 de junho, que líderes comunitários de Colón, a segunda maior cidade do Panamá, comemoraram a vitória do consórcio liderado pela Odebrecht em uma licitação para construir 5.000 casas e restaurar o centro histórico.

"O povo de Colón está em festa. Ganhou a empresa que teve a maior responsabilidade conosco nos últimos 20 anos", disse à Agência EFE o representante do bairro Norte da Parte Antiga de Colón, Jairo Salazar.

Os líderes ameaçaram organizar protestos caso a construtora brasileira não vencesse a concorrência. O consórcio Nuevo Colón, integrado pela Odebrecht e pela panamenha Constructora Urbana, obteve a maior pontuação, 958 pontos, com sua oferta técnica e financeira (US$ 537 milhões), de acordo com o ministro da Habitação, Mario Etchelecu.

A reconstrução do centro urbano de Colón, a 80 quilômetros ao norte da capital do país, incluirá a reforma total de suas 16 ruas e a construção de 5.000 casas, o que beneficiará cerca de 25.000 habitantes.

O projeto inclui, além disso, a reconstrução do sistema pluvial e de tratamento de água e esgoto, além da restauração de edifícios tombados como Patrimônio Histórico da Humanidade.

A Odebrecht é a principal construtora no Panamá, país em que, há 10 anos, realiza obras importantes de infraestrutura, que já criou mais de 11.000 postos de trabalho, dos quais mais de 90% ocupados por mão de obra local.

Também participaram da licitação o consórcio CCA-MCM, cuja oferta técnica foi desqualificada, motivo pelo qual sua proposta econômica sequer chegou a ser aberta, e a Aspinwall, cuja oferta foi de US$ 505 milhões, mas recebeu apenas 492 pontos em sua apresentação técnica, enquanto a Odebrecht chegou a 498 pontos.

Salazar e outros líderes comunitários temiam que a Odebrecht pudesse perder a licitação, por causa da situação que enfrenta no Brasil, relacionada às detenções de vários executivos da empresa, incluindo seu presidente, Marcelo Odebrecht, denunciados na Operação Lava-Jato.

Alguns setores panamenhos chegaram a questionar a presença da construtora no país.

"Há uma conspiração nacional contra a Odebrecht, denunciou ontem o representante do bairro Sul da Parte Antiga de Colón, Álex Lee.

"Uma coisa é vir a trabalhar com a população de Colón. Outra é vir a lucrar aqui. Por isso, os representantes comunitários apoiam a Odebrecht em 200%", concluiu.

FONTE Odebrecht

SOURCE Odebrecht