Eduardo Paes defende mais recursos para os municípios durante Seminário do LIDE

SÃO PAULO, 20 de agosto de 2013 /PRNewswire/ -- Segundo o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, o repasse de mais recursos aos municípios é boa parte da solução para garantir a melhoria dos serviços públicos brasileiros e responder adequadamente às manifestações que recentemente tomaram conta do País. A afirmação ocorreu durante sua apresentação "O desafio da gestão metropolitana no plano social e econômico" em Seminário promovido nesta terça (20) pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais em São Paulo.

Eduardo Paes comentou que as mobilizações ocorridas às vésperas da Copa das Confederações e reuniram milhares de pessoas tinham uma agenda ética, pelo fim da corrupção na política, mas também demonstraram que a população está insatisfeita com a democracia da forma como ela está sendo apresentada. "A sociedade demanda mais interação e participação e por isso temos buscado novas formas de se comunicar com os cidadãos do Rio de Janeiro, de ouvir e interagir" afirmou.

Para ele, a agenda demanda a ação dos políticos muito mais no nível municipal do que no âmbito nacional. "O desafio é permitir que os governos locais tenham condições de fazer isso", diz, ao explicar que os municípios têm apenas 5,3% da arrecadação nacional, contra 70% que ficam com o governo federal e 24,7% com o estadual. "Se não enfrentar a agenda das cidades, o Brasil será um país inviável", afirma.

"Pela primeira vez na história fizemos um estádio olímpico com recursos privados, a partir de uma PPP (parceria público-privada) de mais de 1,5 bilhão de reais", diz o prefeito. A prefeitura do Rio de Janeiro está investindo 8 bilhões de reais em mobilidade urbana, sendo parte alocado para a criação de 150 quilômetros de BRTs (Transporte Rápido por Ônibus).

Para o prefeito, o modelo brasileiro de transporte urbano vai acabar com as cidades brasileiras, pois elas chegaram ao limite, estão todas engarrafadas. "São Paulo já parou, Rio de Janeiro está parando e outras cidades vão pelo mesmo caminho. Não é possível continuar oferecendo tantos subsídios à indústria automobilística. O Brasil precisa investir em transporte de massa e também na verdadeira integração entre essas duas cidades tão importantes – São Paulo e Rio de Janeiro – por meio do trem bala, o que atenderia as necessidades de mobilidade de 25% da população brasileira", adverte.

Paes afirma que o Brasil não entendeu que os próximos grandes eventos esportivos estão vinculados a questões geopolíticas. A Alemanha, por exemplo, usou a Copa do Mundo para mostrar um país unificado, em Seoul, a ideia era apresentar a pujança dos tigres asiáticos. E esses eventos vêm para o Brasil num momento importante de crescimento do País, que não deveria ter focado as atenções na construção de estádios, mas em deixar legados.

Informações para imprensa:
Rose Rocharose-rocha@cdn.com.br (11 3643-2952)

FONTE LIDE

SOURCE LIDE



More by this Source


Custom Packages

Browse our custom packages or build your own to meet your unique communications needs.

Start today.

 

PR Newswire Membership

Fill out a PR Newswire membership form or contact us at (888) 776-0942.

Learn about PR Newswire services

Request more information about PR Newswire products and services or call us at (888) 776-0942.