GSMA abre escritório em Nairóbi para apoiar o florescente mercado africano de telecomunicações Conexões móveis na África Subsaariana aumentam 20 por cento para 500 milhões em 2013 e devem aumentar mais 50 por cento em 2018

NAIRÓBI, Quênia, 15 de maio de 2013 /PRNewswire/ -- A GSMA anunciou hoje que abriu um escritório permanente em Nairóbi, Quênia. O escritório estará localizado no coração do Centro de Inovação (Innovation Hub (iHub)) de Nairóbi para a comunidade tecnológica e permitirá à GSMA trabalhar ainda mais estreitamente com seus membros e outras partes interessadas da indústria para ampliar o alcance e os benefícios socioeconômicos da telefonia móvel em toda a África.

"É um momento empolgante para lançar nosso novo escritório na África, já que a região é um mercado cada vez mais vibrante e crítico para o setor de telefonia móvel, que representa mais de 10 por cento do mercado global", disse Anne Bouverot, diretora-geral da GSMA. "O ritmo acelerado da adoção móvel levou a uma explosão de inovação e enormes benefícios econômicos na região, contribuindo diretamente com US$ 32 bilhões para a economia africana subsaariana ou 4,4 por cento do PIB. Com alocações de espectro necessárias e regulação transparente, a indústria móvel pôde também abastecer a criação de 14,9 milhões de novos postos de trabalho na região entre 2015 e 2020."

De acordo com os últimos dados da Wireless Intelligence da GSMA, o total de conexões móveis na África Subsaariana ultrapassou a marca de 500 milhões no primeiro trimestre de 2013, um aumento de cerca de 20 por cento ano a ano. As conexões devem crescer em mais 50 por cento ou 250 milhões de conexões, ao longo dos próximos cinco anos, o que exige maior segurança regulamentar para promover o investimento e a liberação de espectro harmonizado adicional para a telefonia móvel.

A região responde atualmente por cerca de dois terços das conexões na África, mas a quantidade de espectro alocado para serviços móveis na África está entre as mais baixas em todo o mundo. Os governos da África Subsaariana podem minar a sua banda larga e as metas de desenvolvimento, a menos que mais espectro seja disponibilizado. Em particular, a liberação do espectro do Dividendo Digital, que tem as características ideais para a entrega de banda larga móvel, especialmente para as populações rurais, deve ser uma prioridade.

A região também tem alguns dos mais altos níveis de uso de internet móvel do mundo. No Zimbábue e Nigéria, as contas móveis são mais da metade de todo o tráfego da web em 58,1 por cento e 57,9 por cento, respectivamente, em comparação com 10 por cento da média global. Os níveis de penetração do 3G devem chegar a um quarto da população da África Subsaariana em 2017 (de seis por cento em 2012), à medida que a utilização de serviços especificamente para a telefonia móvel se desenvolve.

No entanto, apesar do alto número de conexões, crescimento rápido e uso de internet móvel, a penetração da telefonia móvel entre as pessoas permanece relativamente baixa. Menos de 250 milhões de pessoas haviam assinado um serviço móvel na região, colocando a penetração de assinantes únicos em 30 por cento, o que significa que mais de dois terços da população ainda vão adquirir o seu primeiro telefone celular. Claramente, há uma oportunidade importante para o setor de telefonia móvel para levar a conectividade, acesso a informações e serviços para as pessoas nesta região.

O setor de telefonia móvel contribui aproximadamente com 3,5 milhões de postos de trabalho em tempo integral na região. Isso também estimulou uma onda de tecnologia e inovação de conteúdo com mais de 50 "centros de inovação" criados para desenvolver habilidades e conteúdos locais no domínio dos serviços de TIC, inclusive o Limbe Labs em Camarões, o iHub no Quênia e o Hive Colab em Uganda.

É importante destacar o papel do Quênia como líder global em serviços de transferência de dinheiro móvel via M-PESA, um serviço lançado pela maior operadora móvel do país, a Safaricom, em 2007. O que começou como uma maneira simples de estender os serviços bancários aos cidadãos sem conta bancária do Quênia já evoluiu para um sistema de pagamento móvel baseado em contas mantidas pela operadora, com as operações autorizadas e registradas em tempo real, usando SMS seguro. Desde o seu lançamento, o M-PESA cresceu para chegar a 15 milhões de usuários registrados e contribui com 18 por cento da receita total da Safaricom.

Para apoiar este aumento enorme na inovação, a indústria de telefonia móvel já investiu cerca de US$ 16,5 bilhões ao longo dos últimos cinco anos (US$ 2,8 bilhões apenas em 2011) nos cinco principais países da região, principalmente voltados para a expansão da capacidade da rede. Ao mesmo tempo, dado o crescimento exponencial, a África Subsaariana enfrenta uma "crise de capacidade e cobertura" iminente em termos de espectro móvel disponível e a GSMA está trabalhando com as operadoras e governos para resolver este problema crítico.

Uma pesquisa da GSMA descobriu que através da liberação do Dividendo Digital e o espectro de 2,6 GHz em 2015, os governos da África Subsaariana poderiam aumentar o PIB anual em US$ 82 bilhões até 2025 e as receitas fiscais anuais em US$ 18 bilhões e acrescentar 27 milhões de empregos até 2025. Em muitos países da África Subsaariana, a banda larga móvel é a única via possível para levar a internet para os cidadãos e as alocações de espectro atuais em toda a região geralmente ficam atrás das de outros países.

"Um ambiente regulatório positivo e de suporte e a alocação de espectro suficiente é fundamental para a continuação do crescimento da telefonia móvel na África", continuou a Srta. Bouverot. "Estou confiante de que, agora que temos uma presença física na África, poderemos trabalhar em conjunto com os nossos membros para posicionar as condições que irão facilitar a expansão da telefonia móvel, levando conectividade e serviços importantes para todos na região."

Notas aos editores:
iHub é o Innovation Hub de Nairóbi para a comunidade tecnológica, que é um espaço aberto para os tecnólogos, investidores, empresas de tecnologia e hackers na área. Este espaço é um local da comunidade tecnológica com foco em jovens empresários, programadores, designers e pesquisadores da web e telefonia móvel. É em parte um espaço de trabalho comunitário aberto (trabalho em conjunto), em parte um vetor dos investidores e VCs e em parte uma incubadora. Mais informações podem ser encontradas aqui: http://www.ihub.co.ke/about

Sobre a GSMA
A GSMA representa os interesses das operadoras de serviços móveis em todo o mundo. Presente em mais de 220 países, a GSMA reúne cerca de 800 operadoras de serviços móveis do mundo com mais de 230 empresas no amplo ecossistema móvel, inclusive fabricantes de aparelhos, empresas de software, fornecedores de equipamentos, empresas de internet, bem como organizações do setor de serviços financeiros, setor de saúde, mídia, transporte e serviços de utilidade pública. A GSMA também organiza eventos líderes do setor, como o Congresso Mundial de Telefonia Móvel e a Exposição de Telefonia Móvel da Ásia.

Para obter mais informações, por favor, visite o website corporativo da GSMA em http://www.gsma.com ou o Mobile World Live, o portal on-line para o setor de comunicações móveis, em http://www.mobileworldlive.com.

FONTE  GSMA

FONTE GSMA

SOURCE GSMA



RELATED LINKS
http://www.gsma.com

Custom Packages

Browse our custom packages or build your own to meet your unique communications needs.

Start today.

 

PR Newswire Membership

Fill out a PR Newswire membership form or contact us at (888) 776-0942.

Learn about PR Newswire services

Request more information about PR Newswire products and services or call us at (888) 776-0942.