O medicamento experimental insulina degludec de ação ultra longa reduz as incidências de hipoglicemia em doentes com diabetes de tipo 2 versus insulina glargine.

FILADÉLFIA, Pensilvânia, 22 de Junho de 2012 /PRNewswire/ -- Insulina degludec de ação ultra longa, uma insulina experimental que está a ser desenvolvida por Novo Nordisk, reduziu significativamente a incidência de hipoglicemia* à noite, em adultos com diabetes de tipo 2, ao mesmo tempo que obteve uma melhoria equivalente no controlo da glicose, comparativamente com insulina glargine durante um período de 52 semanas. Este estudo de Fase 3a foi apresentado na 72a Sessão Científica da Associação Americana de Diabetes ("American Diabetes Association" - ADA).(1)

(Foto: http://photos.prnewswire.com/prnh/20120622/538522 )

O estudo também concluiu que insulina degludec tem incidências de hipoglicemia grave significativamente mais baixas comparativamente à insulina glargine.(1)

"A hipoglicemia noturna, ou durante a noite, é um desafio particularmente para as pessoas que vivem com a diabetes, uma vez que estes episódios são frequentemente imprevisíveis e difíceis de detetar, afirmou Bernard Zinman, principal autor e diretor do Centro de Diabetes no Mount Sinai Hospital, e Professor de Medicina da Universidade de Toronto.

Este ensaio aleatório, de rótulo aberto, de não-inferioridade e treat to target (para tratar até obter o resultado desejado) comparou a eficácia e a segurança de insulina degludec com as de insulina glargine. Ambas as insulinas foram administradas uma vez por dia em 1.030 adultos com diabetes de tipo 2 que nunca foi tratada com insulina, controlada inadequadamente com antidiabéticos orais.

As conclusões do estudo incluem:(1)

  • As incidências de hipoglicemia noturna foram significativamente inferiores em 36% com insulina degludec do que com insulina glargine (0,25 versus 0,39 episódios por doente por ano; p=0,04).
  • As incidências de hipoglicemia gerais confirmadas foram 1,52 versus 1,85 episódios por doente por ano para insulina degludec e insulina glargine, respetivamente (p=0,11).
  • A hipoglicemia grave geral foi pouco frequente em ambas as populações de tratamento, mas foi significativamente mais baixa com insulina degludec do que com insulina glargine (0,003 versus 0,023 episódios /doente-ano; p=0,02).
  • Num ano, este ensaio demonstrou reduções HbA(1c) comparáveis com insulina degludec versus insulina glargine (-1,06% versus -1,19%).**
  • As reduções da glicose plasmática em jejum (GPJ) foram significativamente superiores com insulina degludec do que com insulina glargine (-67,7 versus -59,5 mg/dl, diferença de tratamento estimada (acrônimo em inglês EDT) -7,7 mg/dl, p=0,005)

As incidências de acontecimentos adversos gerais foram baixas e similares entre grupos.(1)

*Classificado como hipoglicemia (ou seja, baixo nível de açúcar no sangue) que ocorre entre as 00h01 – 05h59, inclusive.

Bibliografia

1. Zinman B, et al. The Effect of Insulin Degludec on Glycemic Control and Nocturnal Hypoglycemia Compared with Insulin Glargine: A 1-year Randomized Trial in Insulin-naive People with Type 2 Diabetes. Cartaz apresentado na 72a Sessão Científica da Associação Americana de Diabetes, a 9 de junho de 2012 (NN1250-3579)

FONTE  Novo Nordisk

FONTE Novo Nordisk

SOURCE Novo Nordisk




Custom Packages

Browse our custom packages or build your own to meet your unique communications needs.

Start today.

 

PR Newswire Membership

Fill out a PR Newswire membership form or contact us at (888) 776-0942.

Learn about PR Newswire services

Request more information about PR Newswire products and services or call us at (888) 776-0942.