A Latin Business Chronicle anuncia sua quarta lista anual das principais executivas da América Latina

Aug 21, 2013, 09:15 ET from Latin Trade Group

MIAMI, 21 de agosto de 2013 /PRNewswire/ -- Cinquenta nomes formam a lista das Principais Executivas da América Latina, divulgada hoje pela Latin Business Chronicle. Este é o quarto ano que a classificação é divulgada. A lista homenageia as mulheres que alcançaram o topo de suas respectivas áreas e possuem uma grande influência nos negócios da América Latina. A lista compila mulheres das áreas de óleo e gás, serviços bancários, editorial, jurídica, empresarial, engenharia, automotiva, varejo, TI e outras. Há também uma mistura de mulheres que galgaram a liderança corporativa até o topo, mulheres com longas carreiras no serviço público e mulheres que gerenciam grandes companhias familiares.

Estas mulheres estão mudando a dinâmica e a aparência das diretorias corporativas na região, que foram durante muito tempo dominadas por homens. Enquanto as mulheres latino-americanas alcançaram paridade nos setores de cuidados com a saúde e educação, metade dos diplomados em universidades são agora mulheres. A situação é muito menos satisfatória no mundo dos negócios. As mulheres representam somente 10,5 por cento de todas as posições em diretorias em todo o mundo – um número que os especialistas afirmam ser ainda menor na América Latina.

Perante estes desafios, as realizações destas mulheres neste grupo são ainda mais extraordinárias. A lista inclui Maria das Graças Silva Foster, CEO da Petrobras, a maior companhia da América Latina em receitas, conforme o relatório Latin 500 da LBC. Também inclui Cláudia Sender, CEO da TAM, atualmente em processo de fusão com a LAN para criar a maior companhia aérea da América Latina. Também na lista estão a "rainha da hotelaria" brasileira Chieko Aoki e a campeã da capacitação feminina no México, Angelica Fuentes.

Como as duas maiores economias da região, não é nenhuma surpresa que o Brasil e o México liderem a lista em número de participantes: O Brasil conta com 12 nomes e o México com 11. Ambos os países verdadeiramente superam o resto da região no número de mulheres que ocupam as posições mais elevadas. Após estes dois países da América Latina está a Colômbia – com sete participantes – uma impressionante façanha para a quarta maior economia da América Latina. Outras grandes economias, tais como o Chile e a Venezuela, participam em menor escala com somente duas participantes cada.

Todas estas mulheres são modelos daquilo que a próxima geração de mulheres latino-americanas pode alcançar e trabalhar para alcançar um clima empresarial com mais igualdade. Estes nomes na lista representam um grupo de mulheres que superaram tremendos desafios para chegarem ao topo. 

A Latin Business Chronicle, uma divisão do Latin Trade Group, oferece as principais informações de mercado além das manchetes diárias, através de classificações, índices e estatísticas abrangentes.

Sobre o Latin Trade Group

O Latin Trade Group é líder no fornecimento de serviços de informações e de negócios para as companhias que atuam na América Latina. Publica conteúdo premiado em espanhol e inglês para distribuição em toda a América Latina, Caribe e Estados Unidos, por meio de material impresso, mídia on-line e eventos. O Latin Trade Group publica as revistas Latin Trade, Latin Business Chronicle e organiza o Latin Trade Symposium e o BRAVO Business Awards, a série de eventos LT CFO para executivos de finanças de corporações multinacionais e a Trade Americas.

Contato:  Santiago Gutierrez, Editor Executivo, Latin Trade Group, 57310-240-4415, sgutierrez@latintrade.com

FONTE  Latin Trade Group

FONTE Latin Trade Group

SOURCE Latin Trade Group