GSMA Anuncia Nova Pesquisa Global que Destaca uma Significativa Oportunidade de Crescimento para a Indústria de Mobilidade Penetração mundial de assinantes únicos de serviços de mobilidade é só de 45%; dentro de cinco anos, os assinantes de telefonia móvel do mundo inteiro devem chegar a quatro bilhões, impulsionados pelo crescimento dos mercados em desenvolvimento

LONDRES, 18 de outubro de 2012 /PRNewswire/ -- A GSMA anunciou hoje os resultados de um estudo multianual global que, pela primeira vez, examina não só o número total de conexões móveis(1), mas também o número de assinantes individuais de telefonia móvel, definidos como os usuários únicos que têm assinatura de serviços móveis. A pesquisa primária, empreendida pela equipe de Wireless Intelligence da GSMA, que durou três anos e cobriu mais de 39 mercados desenvolvidos e em desenvolvimento, constatou o seguinte:

  • Até o 4o. trimestre de 2012, o total de conexões móveis chegará a 6,8 bilhões, inclusive comunicações de máquina-a-máquina (M2M), ou 5,9 bilhões, se excluirmos M2M e cartões SIM inativos
  • Com os consumidores usando, em média, 1,85 cartão SIM por pessoa, o número total de assinantes de dispositivos móveis chegará a 3,2 bilhões até o 4º. trimestre de 2012, aumentando para 4 bilhões dentro dos próximos cinco anos
  • A penetração global baseada no total de conexões está prestes a superar a marca de 100% em 2013, sendo que a penetração de assinantes móveis está com somente 45% até o final de 2012

"Esta pesquisa, pela primeira vez, destaca a diferença entre conexões móveis e assinantes individuais de dispositivos móveis e indica uma oportunidade significativa de crescimento para a indústria de mobilidade ao continuarmos a conectar a população do mundo inteiro", disse Anne Bouverot, Diretora Geral da GSMA. "Ao identificar SIMs inativos e a propriedade de múltiplos SIMs, conseguimos criar uma métrica mais precisa sobre a base global de assinantes móveis, demonstrando que somente 45% da população do mundo assina os serviços móveis."

O estudo constatou que o crescimento futuro do número de assinantes de dispositivos móveis será impulsionado pela demanda dos grupos populacionais atualmente ainda 'não conectados' dos países em desenvolvimento, particularmente os habitantes das áreas rurais, que a pesquisa estima ser de 1,8 bilhão durante os próximos cinco anos. Até 2017, a penetração de assinantes em países desenvolvidos dá sinais de que ultrapassará 80%(2), sendo que o crescimento nesses mercados deverá desacelerar. Em contraste, prevê-se que a penetração de assinantes nas economias em desenvolvimento aumente de 39% em 2012 a 47% em 2017, e será o fator mais importante de impulso ao crescimento global da mobilidade nos próximos cinco anos.

A Europa tem a mais alta taxa de penetração móvel do mundo(3), com países como a Dinamarca, Finlândia, Alemanha e Reino Unido já alcançando uma média de 90% de penetração de assinantes. A África tem atualmente a penetração mais baixa, onde apenas uma de cada três pessoas na região tem assinatura de serviços móveis (dados de 2012), cifra esta que deverá aumentar para 40% até 2017. Na Ásia, a penetração de assinantes está em 40% e deverá crescer para 49% até 2017. Na China, o maior mercado mundial de dispositivos móveis, a penetração de assinantes passará de 43% a 52% nos próximos cinco anos.

"Nos mercados em desenvolvimento, onde há claramente uma oportunidade de crescimento para a indústria de mobilidade, os padrões de número de SIMs por usuário são influenciados por consumidores que usam pouco e estão mais atentos aos custos, os quais tendem a acumular os cartões SIM pré-pagos, dependendo das tarifas pré-pagas mais recentes e mais econômicas", continuou Bouverot. "Nos mercados desenvolvidos, os padrões de SIM por usuário são influenciados pela posse de smartphones, tablets e outros dispositivos conectados a redes móveis de banda larga e também resultam da maior disponibilidade de planos de dados compartilhados."

De acordo com a pesquisa, cerca de um terço dos 7 bilhões de habitantes do mundo têm pouca probabilidade de assinar um serviço móvel, por várias razões (4), do que resulta, portanto, uma base de assinantes 'atendíveis' ou potenciais de cerca de 5 bilhões de pessoas. A Wireless Intelligence prevê que a indústria de mobilidade chegará à marca dos 5 bilhões de usuários durante a próxima década, na medida em que a expansão da rede continuar a progredir em mercados em desenvolvimento, e na medida em que as pessoas nas áreas rurais, muitas das quais vivem atualmente com menos de US$2 por dia, passem a assinar os serviços de mobilidade.

Na Índia, de acordo com as cifras do Banco Mundial e da Autoridade Reguladora das Telecomunicações da Índia (TRAI), aproximadamente meio bilhão de pessoas das áreas rurais do país não estão conectadas às redes móveis, sendo a penetração da mobilidade na área rural de 39%. A penetração rural tende a crescer mais lentamente e, mesmo quando a cobertura é instalada em bases nacionais, leva algum tempo para que os usuários adotem os serviços móveis. Por exemplo, em vários mercados africanos, tais como no Malavi, apesar da cobertura móvel estar próxima a 95% da população, a penetração das conexões ainda continua com somente 29% no 2o. trimestre de 2012.

A tabela abaixo informa os dados de penetração global de assinantes móveis em 2012 e 2017 e destaca a oportunidade 'atendível' de crescimento para a indústria de mobilidade.

Avaliação demográfica bruta de número de assinantes




(Unidades em bilhões)

2012

2017


População global*

7.0

7.4


Número global de assinantes únicos de mobilidade

3.2

3.9


Penetração global de assinantes únicos

46%

53%


População potencialmente incapaz de assinar**

2.3

2.4


População atendível

4.7

5.0


na qual os não conectados, devido à cobertura da rede, são***

1.5

1.1


Penetração global de assinantes únicos, ajustada

68%

78%












Notas aos Editores
(1) Total de cartões SIM especiais (ou números de telefones, nos casos em que os cartões SIM não são usados) que foram registrados na rede móvel ao final de um período. Os números de conexões diferem dos assinantes, na medida em que um usuário único pode ter múltiplas conexões.
(2) Diferentemente das taxas de penetração de conexões totais e ativas, que podem gravitar para ou acima de 200% da população, as medidas de penetração de assinantes medem o número de usuários únicos e não podem superar 100%.
(3) Penetração móvel, número de conexões comparado ao número de assinantes únicos (Wireless Intelligence):









Penetração de conexões totais


Penetração de assinantes únicos



2012

2017


2012

2017


Mundo

93%

114%


45%

53%


África

68%

88%


33%

40%


Américas

112%

132%


59%

64%


América do Norte

108%

117%


69%

70%


América do Sul

128%

156%


57%

65%


Ásia

87%

110%


40%

49%


Japão

113%

132%


88%

92%


Israel

135%

152%


67%

71%


Europa

138%

152%


76%

80%


Reino Unido

123%

128%


87%

89%


Espanha

119%

129%


81%

84%


Oceania

108%

119%


74%

76%


Em desenvolvimento

87%

110%


39%

47%


Brasil

140%

177%


58%

68%


Rússia

164%

183%


73%

79%


Índia

76%

100%


26%

40%


China

82%

107%


43%

52%


África do Sul

138%

171%


66%

79%


Desenvolvidos

122%

133%


79%

81%

















(4) Globalmente, resta uma parcela da população sem acesso à rede móvel – a população 'desconectada' (pelo menos, até o momento). Além disso, haverá sempre uma parcela da população dentro de uma área de cobertura que não se tornará assinante de serviços móveis, por outras razões. Por exemplo, em certos contingentes da população jovem, idosa, incapacitada, encarcerada ou desempregada, a penetração de assinantes móveis será provavelmente mais baixa do que a média geral.


*  Agregado a partir de dados populacionais da ONU

** Proporção estimada de subdivisão demográfica em faixas etárias de 0-14 e mais de 65 anos, com base em dados do Banco Mundial

*** Proporção estimada de população não conectada; assumindo 70% de cobertura GSM por população nos mercados em desenvolvimento









Sobre a GSMA
A GSMA representa os interesses de operadoras móveis do mundo inteiro. Cobrindo mais de 220 países, a GSMA une cerca de 800 das operadoras mundiais de serviços móveis com mais de 230 companhias no ecossistema mais amplo de mobilidade, inclusive fabricantes de aparelhos, companhias de software, fornecedores de equipamentos e companhias de Internet, bem como outras organizações em setores tais como serviços financeiros, saúde, mídia, transporte e serviços públicos. A GSMA também produz eventos líderes do setor, tais como o Mobile World Congress e a Mobile Asia Expo.

Para obter mais informações, visite e website corporativo da GSMA em www.gsma.com ou Mobile World Live, o portal online do setor de comunicações móveis, em www.mobileworldlive.com.

Sobre a GSMA Wireless Intelligence
GSMA Wireless Intelligence é a fonte definitiva de dados, análises e previsões para as operadoras móveis, oferecendo e entregando o conjunto mais exato e completo de métricas do setor que estão disponíveis. Com doze milhões de pontos de dados individuais (atualizados diariamente), o serviço fornece uma cobertura do desempenho de todas as 1.550 operadoras e 1.600 operadoras de redes virtuais móveis (MVNOs) em 3.500 redes, 65 grupos e 237 países mundialmente.

FONTE  GSMA

FONTE GSMA

SOURCE GSMA



RELATED LINKS
http://www.gsma.com

More by this Source


Custom Packages

Browse our custom packages or build your own to meet your unique communications needs.

Start today.

 

PR Newswire Membership

Fill out a PR Newswire membership form or contact us at (888) 776-0942.

Learn about PR Newswire services

Request more information about PR Newswire products and services or call us at (888) 776-0942.